27 fevereiro 2013

Soneto ao amor que tem seu preço



Cefas Carvalho

Espalhas beleza ao vento como flores
Deusa pagã; Isis, Vênus, Afrodite
Fizeste com que eu fosse ao meu limite
Perdido, jurei que iria onde fores

Contigo, fiz planos, sonhos, acredite!...
Meus amigos confessaram seus temores
Em onde fiei a corda dos amores
Revelarei segredos, se me permite

Tudo tem seu preço, diz o ditado
Por que não valerias teu peso em ouro?
Darias sem cobrar o que tem tanto valor?

Dizes quanto cobras pelo teu agrado
Para te ter, espoliarei o meu tesouro
Comprarei centavo por centavo, o teu amor!


(Publicado originalmente na plaquete "Sonetos eróticos e/ou pornográficos", publicado em 2006. Ilustração: "Nu reclinado", de Amedeo Modigliani)

2 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Passando para me atualizar por aqui...cuidado para não ficar pobre, poeta!

Abraço do Pedra

Cefas Carvalho disse...

Rsrs. Valeu pela visita. Tem nem perigo eu ficar pobre por essa razão. Abraço!